As minhas princesas

Lilypie Kids Birthday tickers

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Gostei do post (Às 9 no meu blog)

Dos irmãos



Eu acho que é sempre complicado gerir o turbilhão de emoções que as crianças sentem com a chegada de um novo mano. Se por um lado a notícia é vivida com alegria, com curiosidade, com mil perguntas, por outro existe sempre um sentimento de "roubo" do protagonismo, da partilha da atenção do pai e da mãe com o novo membro da família e do medo de ser menos amado, menos mimado, menos querido porque "agora" existe mais alguém que é bebé, que toda a gente mima mais, com quem falam de uma forma diferente e que anda sempre ao colo da mãe, do pai, dos avós, dos amigos...


Mas, corrijam-me se estiver errada, também acredito que cabe inteiramente aos pais a gestão cuidada dos afectos, a gestão cuidada e cautelosa da partilha da atenção pelos irmãos e as conversas que são sempre importantes e que explicam bem o que se vai passar, por mais pequeninos que eles sejam. Tudo para criar nas crianças a segurança afectiva que precisam. Tudo para que sintam sempre o mesmo amor e a mesma atenção. Atenção essa que, ao contrário do que se pensa, não é dividida, mas sim multiplicada.
E o amor enternecedor entre irmãos, a cumplicidade e a partilha do dia a dia, é um dos laços mais bonitos que existe. Eu sei que sou mais feliz por não ser filha única, por ter uma irmã, a minha companheira de tantas coisas boas e menos boas, a amiga que está sempre lá para mim, aconteça o que acontecer. E é isto, este amor e esta cumplicidade que quero passar sempre ao Martim. Tenho a certeza que pelo facto de ter irmãos, ele vai crescer muito mais feliz e, emocionalmente, mais saudável.

Sem comentários: